FAZENDO AS UNHAS

Você acorda inspirada para fazer as unhas, chega a hora e depois de preparar tudo certinho inicia. Cutículas tiradas, unhas lixadas e cortadas, tudo nos conformes para pintar. Nos pés faz aquela francesinha perfeita, cola um adesivo delicado, finaliza e inicia as mãos. Primeira mão tudo certo, segunda mão borra! “Ah meu Deus!” Maaas tudo bem, a gente refaz. Na hora de refazer, borra a primeira “Droooga!”.Tudo bem, a gente refaz e…. borrou de novo e de novo! Tuuudo bem, a gente TIRA TUDO!!! Ao menos os pés estão bonitos… Só que não! Quando for ver, esquecemos que o esmalte estava molhado e tem adesivo delicado colado até no calcanhar.
Sim, aconteceu comigo! hahaha

DONA DE CASA

Vamos falar então daquelas mulheres que optaram por estar em casa para cuidar dos filhos, por motivos de saúde ou até mesmo para iniciar um negócio próprio.

A rotina da dona de casa é basicamente no início do dia preparar o café para a família,arrumar os filhos, leva-los para o colégio, aproveitar a volta para ir no mercado comprar algo que falta, ir ao banco pagar as contas, depois dar uma boa limpada em casa, preparar o almoço, limpar, sair resolver problemas, buscar os filhos no colégio, dar atenção, ajudar nas tarefas,receber o marido, fazer o jantar, limpar e limpar, colocar os filhos para dormir e uuffaaa.. finalmente descansar !!
E então chega a noite e o marido ainda fala; “Cansada do que amor?! Se fica o dia todo em casa..”
Não é de matar ?! kkkk

Nem toda rotina de dona de casa é exatamente assim, mas com toda certeza é bem lotada e cansativa! Ahh esses maridos, não sabem nem da metade.

#mulheresquesomos #donasdecasa ❤

– GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA –

Boa Tarde ❤

Todas sabemos o quanto é comum meninas engravidarem na adolescência, e devido a isto, descarrilham uma vida inteira. A maioria das meninas param os estudos, se fecham para a sociedade, acabam perdendo a saúde e se deixam levar.
Então, convidei minha grande amiga de longa data Thais, para que nos fizesse um relato, sendo que ela mesma passou por essa experiência e com muita força e garra superou todas as dificuldades, pois o amor por um filho supera tudo! ❤

“Primeiramente, quero agradecer a Jaque pela oportunidade de estar mostrando minha história e quem sabe estar ajudando quem está passando pelo mesmo caminho.
Então, aos 13 anos de idade engravidei, de um relacionamento bem curto, mas por medo, escondi o máximo de todos, usava roupas largas, saia de perto quando ficava enjoada… Quando estava de 5 meses já não conseguia mais esconder, minhas roupas já estavam apertadas e minha menstruação não vinha, fiz o exame a pedido da minha mãe, e a surpresa, que já não era tão surpresa assim,deu positivo, fiquei calada, assustada, na verdade em pânico, meus pais estavam em choque, me criticando e julgando o quanto podiam e a única pessoa que estava ali, me apoiando, era minha irmã, que sabia o que eu estava passando, pois também engravidou cedo. Contei para o pai do meu filho e depois de falar várias coisas horríveis para mim, foi embora, e eu me vi ali, grávida e sozinha. Depois de enfrentar meus pais, foi á vez de enfrentar as pessoas na rua, na escola, eram risadas, cochichos, piadinhas, enfim, vinha de tudo, no fim só saia de casa para ir à escola, mas não desisti dos meus estudos, estudei até completar 9 meses de gestação, os professores me ajudaram muito e minhas amigas sempre do meu lado. No dia 12/01/2008 depois de um longo período de pré parto, nasceu meu príncipe Eduardo, pesando 4 kg e medindo 52 cm, a felicidade foi tão grande, ver aquele serzinho tão pequeno e tão lindo nos meus braços. A minha maior surpresa foi quando meus pais o viram pena 1ª vez, choraram muito, me pediram perdão por tudo e me disseram que estaria ao meu lado. Em casa a minha vida se resumia em cuidar do meu filho, dias e meses com sono trocado, indo dormir as 7h00m da manhã e acordando as 18h00m da tarde e a noite toda acordada, acabei entrando em depressão, só chorava, não comia, mas me agarrei muito a Deus, para tirar esse sentimento ruim de mim. Após 3 meses voltei a escola, e as piadinhas também, mas vendo outras pessoas, voltando a conviver com minhas amigas a depressão passou, lutei muito para vence-la. Na hora do intervalo no colégio minha mãe trazia todos os dias o Eduardo para eu amamentar, todos os dias, para que eu não perdesse aula e pudesse amamentar.
Hoje, tenho 21 anos, graduo o penúltimo ano de faculdade e o Eduardo está com 7 anos, estou a 6 com uma pessoa maravilhosa, que desde o inicio aceitou meu filho como praticamente dele e ainda moro com meus pais, que agradeço sempre por estarem sempre ao meu lado me apoiando, me incentivando a nunca desistir de nada e o Eduardo é o xodó deles.
O que eu posso dizer de ser mãe na adolescência? Que não é fácil, várias coisas você tem que deixar para trás, muitas coisas mesmo, mas a força que faz você enfrentar tudo isso é um filho, é um laço tão forte, é um amor tão grande que é inexplicável, faz você enfrentar tudo e todos e você tem que ter consciência que essa parte de sua vida não é para sempre, é passageira, logo as coisas vão se acertando, se ajeitando e a vida vai seguindo.”

Curtam a nossa fanpage

‪#‎gravideznaadolescência‬ ‪#‎mulheresquesomosguerreiras‬

AQUELE DIA QUE REALMENTE NÃO É PARA SAIR…

A pior parte é se arrumar porque absolutamente naaada fica bom então “Dane-se, vou assim mesmo”!
Você sai se sentindo toda desleixada, mal fica pronta e o sapato começa a apertar. Até chegar lá tudo no caminho se torna obstáculos enormes (degraus, pedrinhas, paralelepípedo,…).
A gente acaba ficando meio mal humorada e se sente até com um peso nas costas. A música é um zum zum zum na cabeça, a gente nem nota aquele gatinho olhando pois estamos com o pensamento focado em chegar em casa…Oh senhor, nos tornamos a pessoa mais chata desse mundo!

Então amiga, se não quer sair não saia!
Mulher de mau humor não é moleza não, e nem insista quando uma amiga sua não querer sair também !kkk