AMIGAS NA BALADA

AMIGAAAA NÃO OLHA, tem um boy magia lá perto da escada te olhando.
Então como se nada estivesse acontecendo, você ativa a sua cara de paisagem e continua normal. Dançando, olhando o show, conversando, rindo, SÓ QUE nesse meio tempo, de virar para lá e para cá, você já notou até a cor dos olhos do cara que está LÁÁ na escada, avaliou se é pegável ou não e claro que a sua amiga também deu a nota, tudo isso e o bobo nem percebeu, ainda está tentando ser notado.
Vocês continuam mais um pouquinho ali, para ser mais difícil, claro. E depois chega a hora de ir ao banheiro, por mais que seja a direção oposta ao banheiro, passam próximo dele para avaliar mais de perto e e para você jogar charme claro, então nesse instante, quase que em câmera lenta, você olha bem nos olhos dele, da um sorrisinho, mexe no cabelo e volta a olhar para frente… PRONTO, ele sabe que foi notado.
Você e a sua amiga dão uma volta demorada na balada depois de sair do banheiro, para que ele fique pensando onde você foi,por que sumiu, será que foi embora?? E assim, o processo de sedução vai seguindo. E quando estão voltando, passam por ele de novo, e você dá outra olhadinha.
Vocês no lugar inicial, continuam dançando e se divertindo, só que dessa vez você deixa ele notar quando você olha. Então de um modo nada disfarçado, ele começa a se aproximar de você aos poucos, não importa a distância, ele vem vindo devagar, TA DANDO CEEERTO! Até que ele chega e cumprimenta vocês duas, te oferece uma bebida, e depois oferece para a sua amiga, vocês conversam, riem um pouco e ele te tira para dançar. Dançam, conversam, dançam e BEIJOOOOOOOOOOOOOOUUUUUU !!!!
Se foi bom, vocês ficam até o final da balada, e se não foi, você vai distanciando devagar, sumindo um pouco, demora mas ele nota o fora!

Anúncios

MULHER E BANHEIRO PÚBLICO

Desde pequenas, aprendemos com nossas mães que, não se deve sentar em banheiro público. Se for necessário ir, devemos limpar a borda e colocar tiras de papel para ter o mínimo contato possível, e depois fazer uma acrobacia para sentar, sem encostar.
Agora que somos adultas, quando nos vemos obrigadas a ir no banheiro público é assim; Depois de enfrentar uma fila enorme, chega a nossa vez, e ao entrar no banheiro minúsculo e sujo, o que acontece ? NÃO TEM TRANCA, e muito menos lugar para por a bolsa. A solução é segurar a bolsa e empurrar a porta com uma mão, e com a outra (depois de fazer o ritual de limpeza da borda do vaso) levantar a saia e abaixar a calcinha. Com muita dificuldade, mas você consegue se colocar na posição de sentar sem encostar, e ahh finalmente… Seus músculos começam a tremer, a calcinha esta cortando a circulação da perna, você sente vontade de sentar, mas lembra da sua mãe falando que não deve,então você esta praticamente suspensa no ar,mas aguenta, e, CADE O PAPEL ?? O rolo esta vazio! Etão começa a reza divina, para que por algum milagre tenha algo dentro da bolsa que possa lhe salvar, mas, para olhar teria que soltar a porta, fazer o que! Quase no mesmo instante que solta a porta, alguém empurra, e você rapidamente empurra de volta e grita, TEEM GENTEEE! Então, considerando que todas lá fora ouviram,você solta a porta com tranquilidade e começa a procura na bolsa, OH MEU DEUS,UM LENÇO! Um milagre é feito com o lenço, então você levanta parecendo que esta em uma saúna de tanto calor, mau sentindo as pernas, arruma a roupa, e sai em direção a pia. Não tem mais sabonete e você lava só com água mesmo, e o secador ? Não presta para nada, seca a mão na roupa! Finalmente você sai da saúna, e vê o seu namorado esperando lá fora, depois de ter saído do banheiro masculino e criado raiz te esperando.
E ele pergunta, ” Por que a demora?” e você, “fila!”. Não vale a pena explicar.
E essa é a simples razão, de porque as mulheres vão ao banheiro em grupo. Solidariedade, uma segura a bolsa, a outra segura a porta e assim fica muito mais simples e rápido, você pode procurar um papel antes, e na hora, sentar sem encostar fica bem mais fácil.
Obrigada a todas as amigas que já me acompanharam ao banheiro.

A ALGUMAS DÉCADAS

A ALGUMAS DÉCADAS…
Como o nosso mundo de algumas décadas era reservado e até machista, não concordam? O homem era o “rei”, e a mulher a “serva”. Sera questão de ‘bons modos’ e ‘reputação’ ?
Bom, segue alguns trechos de revistas da época.
“Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas”.(Jornal das Moças, 1957).
“Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve redobrar seu carinho e provas de afeto, sem questioná-lo”.(Revista Cláudia, 1962).
“A desordem em um banheiro desperta no marido a vontade de ir tomar banho fora de casa”.(Jornal das Moças, 1965).
“Se o seu marido fuma, não arrume briga pelo simples fato de cair cinzas no tapete. Tenha cinzeiros espalhados por toda a casa”.(Jornal Moças, 1957).
“A mulher deve estar ciente que dificilmente um homem pode perdoar uma mulher por não ter resistido às experiências pré-nupciais, mostrando que era perfeita e única, exatamente como ele a idealizara”.(Revista Cláudia,1962).
“Mesmo que um homem consiga divertir-se com sua namorada ou noiva, na verdade ele não irá gostar de ver que ela cedeu”.(Revista Querida, 1954).
“O noivado longo é um perigo, mas nunca sugira o matrimônio. Ele é quem decide – sempre”.(Revista Querida, 1953).
“Sempre que o homem sair com os amigos e voltar tarde da noite, espere-o linda, cheirosa e dócil”. (Jornal das Moças, 1958).
“É fundamental manter sempre a aparência impecável diante do marido”.(Jornal das Moças, 1957).
“O lugar de mulher é no lar. O trabalho fora de casa a masculiniza”.(Revista Querida, 1955).
“A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas, servindo-lhe uma cerveja bem gelada. Nada de incomodá-lo com serviços ou notícias domésticas”.(Jornal das Moças, 1959).
Vocês conseguem pensar nessas “regras” hoje em dia?
Abençoadas aquelas que se revoltaram, revolucionaram e conquistaram os direitos iguais!
Visite a nossa fanpage