O AMOR MAL AMADO

O amor não morre de uma hora para a outra de “causas naturais”, morre por não ser reabastecido e cultivado, morre por falta de atenção, morre por falta de respeito, por falta de perdão, o amor quando perde seus princípios, de torna mal amado e dolorido.
O amor mal amado pode ser tão triste quanto a própria solidão, faz com que a rotina e o comodismo tomem conta da relação, faz estragos para o coração e alma.
O amor é um sentimento nobre com dever de unir dois em um. Então, amar sozinha por dois não basta para o sentimento permanecer sólido, não pode nem ser considerado amor.
O amor não se alimenta de promessas em vão e palavras ao vento, isso só o destrói.
O amor se alimenta de surpresas, momentos , carinho, afeto, ligações, mensagens inesperadas,o amor de alimenta da felicidade no olhar, da vontade de estar junto e da autenticidade do desejo de ser apenas um, de ambas as partes claro, um completando o outro sempre!
Um amor forte, faz com que tenhamos alegria, saudades, faz o coração pular e as borboletas se soltarem.
Já o amor mal amado, pode chegar a um certo ponto de notarmos que antes sozinha e feliz, do que estar com alguém, porém, mal amada.

Se for para amar sozinha, prefira amar a si mesma.

Visite a nossa fanpage

Anúncios

A ALGUMAS DÉCADAS

A ALGUMAS DÉCADAS…
Como o nosso mundo de algumas décadas era reservado e até machista, não concordam? O homem era o “rei”, e a mulher a “serva”. Sera questão de ‘bons modos’ e ‘reputação’ ?
Bom, segue alguns trechos de revistas da época.
“Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas”.(Jornal das Moças, 1957).
“Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve redobrar seu carinho e provas de afeto, sem questioná-lo”.(Revista Cláudia, 1962).
“A desordem em um banheiro desperta no marido a vontade de ir tomar banho fora de casa”.(Jornal das Moças, 1965).
“Se o seu marido fuma, não arrume briga pelo simples fato de cair cinzas no tapete. Tenha cinzeiros espalhados por toda a casa”.(Jornal Moças, 1957).
“A mulher deve estar ciente que dificilmente um homem pode perdoar uma mulher por não ter resistido às experiências pré-nupciais, mostrando que era perfeita e única, exatamente como ele a idealizara”.(Revista Cláudia,1962).
“Mesmo que um homem consiga divertir-se com sua namorada ou noiva, na verdade ele não irá gostar de ver que ela cedeu”.(Revista Querida, 1954).
“O noivado longo é um perigo, mas nunca sugira o matrimônio. Ele é quem decide – sempre”.(Revista Querida, 1953).
“Sempre que o homem sair com os amigos e voltar tarde da noite, espere-o linda, cheirosa e dócil”. (Jornal das Moças, 1958).
“É fundamental manter sempre a aparência impecável diante do marido”.(Jornal das Moças, 1957).
“O lugar de mulher é no lar. O trabalho fora de casa a masculiniza”.(Revista Querida, 1955).
“A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas, servindo-lhe uma cerveja bem gelada. Nada de incomodá-lo com serviços ou notícias domésticas”.(Jornal das Moças, 1959).
Vocês conseguem pensar nessas “regras” hoje em dia?
Abençoadas aquelas que se revoltaram, revolucionaram e conquistaram os direitos iguais!
Visite a nossa fanpage

MÃE

Ah as mães, mulheres poderosas que aguentam nosso nhe nhe nhe de filha. Mulheres que nos amam incondicionalmente, que sabem a hora do sim e do não, mulheres que nos entendem como ninguém, mulheres guerreiras que fazem o impossível por nós! Filhos e filhas podem hoje descordar da frase muito dita pelas mães, “um dia você vai me entender” ou “um dia você vai concordar comigo”, eu ja discordei também mas é a pura verdade! Eu sei que mãe é chata demais as vezes, mas nós filhos temos que olhar um pouco mais o lado delas e aprender a valorizar. Afinal, mãe é uma só e infelizmente não são para sempre!

Digam a elas o quanto as amam ❤